solidão acompanhada

escutar implica caminhar na atenção. se eu puder caminhar sem fazer meu o caminho—–sem me apropriar—-. se eu puder largar sem abandonar—-sem colapsar—. chegar-deixar chegar, talvez para alguns de nós seja mais ajustado dizer deixar chegar-chegar. onde escuto esse deixar?

solidão acompanhada

escutar implica caminhar na atenção. se eu puder caminhar sem fazer meu o caminho—–sem me apropriar—-. se eu puder largar sem abandonar—-sem colapsar—. chegar-deixar chegar, talvez para alguns de nós seja mais ajustado dizer deixar chegar-chegar. onde escuto esse deixar?

e também sou prostituta, boa mãe e gosto do que sou,e tu?

é possível viver junto mais-que-um mas é preciso coragem para atravessar tanta falsidade e sede de controlo. vamos então eliminar a prostituição?acabar com a toxicodependência? criar uma cidade mais limpa,mais mágica, mais competitiva? também podíamos acabar de vez com a

e também sou prostituta, boa mãe e gosto do que sou,e tu?

é possível viver junto mais-que-um mas é preciso coragem para atravessar tanta falsidade e sede de controlo. vamos então eliminar a prostituição?acabar com a toxicodependência? criar uma cidade mais limpa,mais mágica, mais competitiva? também podíamos acabar de vez com a

a canção do rosa velho, continuação

ó rosa dá-me um beijinho/que é bonito e sabe bem/um abraço com carinho/muita conversa também//isaura está a fazer malha/tic-tic-tic-tricot’a lã/não há cá zanga que a valha/é uma roupinha pra cada manhã//alexandre num cantinho/sempre com muit’atenção/dança agora este passinho/traz a ilda

a canção do rosa velho, continuação

ó rosa dá-me um beijinho/que é bonito e sabe bem/um abraço com carinho/muita conversa também//isaura está a fazer malha/tic-tic-tic-tricot’a lã/não há cá zanga que a valha/é uma roupinha pra cada manhã//alexandre num cantinho/sempre com muit’atenção/dança agora este passinho/traz a ilda

plantar dinheiro

como é que se geram recursos? um dia em vez da troca directa tivemos esta ideia de criar uma “coisa” que nos permitisse abrir o delay entre o desejo-necessidade e o ter. talvez pelo caminho tenhamos passado a usar essa

plantar dinheiro

como é que se geram recursos? um dia em vez da troca directa tivemos esta ideia de criar uma “coisa” que nos permitisse abrir o delay entre o desejo-necessidade e o ter. talvez pelo caminho tenhamos passado a usar essa

a fúria dos sonhadores, criadores de mudança

quando chego ao fim de julho, antes de aligeirar…olho para o caminho, para as marcas nas pernas, para a forma dos braços, para a grossura da pele, para as paisagens que me povoam os sonhos, para os saltos de irritação,

a fúria dos sonhadores, criadores de mudança

quando chego ao fim de julho, antes de aligeirar…olho para o caminho, para as marcas nas pernas, para a forma dos braços, para a grossura da pele, para as paisagens que me povoam os sonhos, para os saltos de irritação,

cruzamentos lisboa-sp. Sp.lisboa,

dos trânsitos que põe a pensar     menina do interior, quando chega em são paulo fica numa espécie de estado de susto. roubam-lhe o tempo? imperativo contemporâneo, o tempo que escoa, rápido, por entre milhares de fazeres. fazer dinheiro,

cruzamentos lisboa-sp. Sp.lisboa,

dos trânsitos que põe a pensar     menina do interior, quando chega em são paulo fica numa espécie de estado de susto. roubam-lhe o tempo? imperativo contemporâneo, o tempo que escoa, rápido, por entre milhares de fazeres. fazer dinheiro,

rua da mouraria a ver a televisão dos pobres

viemos de casa de quem está sozinho. desde a chegada em que o corpo zombie parecia nem ter cor até que saímos para o sol queimante já com abraços e risadas, atravessámos histórias encarocaladas umas nas outras— do zé do

rua da mouraria a ver a televisão dos pobres

viemos de casa de quem está sozinho. desde a chegada em que o corpo zombie parecia nem ter cor até que saímos para o sol queimante já com abraços e risadas, atravessámos histórias encarocaladas umas nas outras— do zé do