corpo sóbrio

Estes dias apareceu-me esta vontade de falar de uma certa forma de juntar o corpo que me apareceu com o nome de sobriedade… este corpo sóbrio é-o no sentido de que não sobra nem falta, tem o que é necessário a cada momento. O entendimento necessário a cada momento. Num processo similar ao que me faz entender quando preciso de alimentos em que quantidade e combinação, também sei o que compreender em que quantidade e combinação a cada momento. O corpo sóbrio no sentido de não estar embriagado pelo que no princípio do movimento é ajustado e depois deixa de ser. Embriagado não pelo atestar dos sinais que emite, mas porque não sabe parar, não sabe construir o contramovimento que diz “agora não mais disto” e iniciar outra coisa. Quando não sei dizer “não mais disto” é porque há uma vontade de me substituir à coisa que vi e que me disse que valia a penar ir por ali. Ir embora para sempre tem que incorporar o ficar já aqui, ou quero-me substituir ao movimento de ir embora, quero ser eu própria o movimento de ir embora, desimplicando-me de ser o que sou e ocupando uma substituição de mim própria que crio só para garantir que recebe os inputs essenciais à sobrevivência. Qual é o lugar em que comi demais, amei demais, soube demais, precisei demais, acumulei demais?… intimamente eu sei qual é esse lugar… sempre soube… posso fazer de conta que não sei, que não é para se falar disto, que há “demais” que não têm fim… que nunca se é bom demais, amigo demais, paciente demais, grato demais… mas não é de um limite fixo que estou a falar… este corpo que vou interrogando não tem limites fixos… é uma charneira ténue, um estremecimento… a quantidade certa de desconhecimento para cada conhecimento… não querer saber demais, não querer ser demais, não querer ocupar demais… os limites móveis são muito mais complexos de considerar.
margarida

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.