calçada de lá, embaixo dos carros, rua dos fanqueiros

 

um aspecto interessante de não ter estado a acompanhar durante meses a constituição da rota e dos trabalhos que desaguam no pedras d’agua foi a surpresa. nalguns momentos pude mesmo estar numa atmosfera quase de alguém que passa e se depara com qualquer coisa inomeável. sábado a tarde, rua dos fanqueiros, uma fileira de pessoas de um lado da calçada, em pé, sentadas, chapéu de chuva, olham por entre os carros. há uma maciez quase imperceptível nos gestos de bernardo. noto, na insistência, o dilatar de um tempo que se desprende e alarga a rua. corpo afetado de sonolência e pausa, recosta-se sobre a parede de pedra e dorme. ao acordar, ainda dança. uma mulher (no telemóvel) e um homem sobem a rua juntos. num momento, ainda sem ver a dança, a movimentação rápida do homem que sobe pressente algum acontecimento no espaço. só então, segundos depois, ele nota a movimentação do bernardo e cria um gesto respeitoso em relação. faz aceno com os olhos pra mulher, que não desvia. compõe o momento alguns carros, que estacionam, que saem, que passam. bernardo parece que continua a dançar: a porta verde, a rua, embaixo dos carros. 

(amaranta)

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.