microbailes-uma experiência de atravessar impossiveis

sexta feira passada dançámos com as B de Baile entre o cais do sodré e cacilhas. começou nas tais oliveiras num vaso mesmo à beira rio, em co-sonoridade com o checksound do palco instalado.não há problema que impossibilite o baile! a celina piedade maravilhosa no acordeão, e a tania lopes pulsando nas percussões.é incrivel como em poucos segundos se abrem abraços e risadas, uns que sabem as danças outros a inventá-las na hora. é impossivel estar quieto! parece que o coração explode de alegria.
quando chegámos à estação fluvial entraram as más-ondas.olhe que eu chamo a policia maritima, vocês não podem dançar aqui,vocês não podem estar aqui a cantar. aqui não pode haver música…oh! homem! não se enerve, vamos ali para fora e continuamos lá.mas no barco também não podem…as senhoras da limpeza era só gargalhar (obrigada por passarem aqui, olhe que eu estou a gostar muito)
confesso que ainda houve um momento, quando já quase todos tinhamos os bilhetes para o cruzeiro do amor, em que pensei se não seria melhor continuarmos por este lado do cais, a tarde estava linda, tanta festa no ar…não me apetecia nada levar com as antipatias de quem tem mesmo que descarregar as fúrias…é impressionante o absurdo a que estamos chegando…claro está que bastou uma briza marítima e mais uma dança estonteante e já estávamos com as grinaldas de crochet a entrar barco adentro.
não houve nem mais um momento de parede-de-impossivel….dentro do barco, no porto em cacilhas….no barco de volta(que ainda por cima era fechado)a dança pulou, rodopiou, a voz da celina encantou, as rosas vermelhas coloriram os postes, o rio-mar ondulou, quem viajava dançou, quem vigiava dançou e cantou…uma festa pequenina que se faz um movimento de força de vida!
é muito irritante quando insistem que os “jardineiros” das artes são só um sonho sem concretude…o que eu vi e vivi sexta feira foi mais uma experiência concreta de outras formas de estar juntos mais-que-um que não cabem no que estás ou não autorizado a fazer. não se medem em negociações de metros quadrados por pessoa. é dança, sem porques nem paras. é dança e cadaumaum sabe bem o quanto a dança é vida.
sofia
a foto de entrada é do bruno salgado

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.