fazer rádio

esta semana criámos o 5º programa de rádio. fomos para o espaço do contacto cultural ali no mercado forno do tijolo (um lugar escuro que cheira a humidade, como dizem o tiago e o nuno, e com muito boa onda, como qualquer um de nós pode constatar…). parece que começa a ser corpo também, o desenho da paisagem sonora integrando peças gravadas tão diversas vai surgindo com uma vontade própria. são as passadas pelas ruas que chamam a voz da lídia dizendo que nos espera esta sexta feira assim como as gargalhadas morabezicas se abrem na música do fox que desagua nos bébés do beco do rosendo…nem é uma sequência de umas coisas para outras, é esse encontro das águas que parecem ser toda a mesma e no entanto não são.

ontem de manhã estivemos a conversar sobre documentação. alguém perguntava  porque insistimos que não é um registo, uma captura de um momento…pois não sei por em palavras mas a documentação que trabalho não é por certo captura ou registo, continua a fazer-me vibrar a expressão “lado a lado” sendo que esse lado até pode estar atrás ou à frente, perto ou longe. aqui há 3 anos descobri o “ecoador”, esse corpo que amplia sem que ampliar seja forçosamente “fazer maior”.

acompanhar o momento, estar lado a lado com o acontecer do acontecimento, implica ser acontecimento também. no entanto o “estado de documentação” tem uma textura diversa do estado de criação do acontecer. temos embalado o corpo por entre esses movimentos, aquele que cria o acontecer é agora o que documenta ou aquele que documenta é agora o que faz acontecer…mas ninguém faz acontecer sózinho e a capacidade de escuta para “tocar” o acontecer é uma afinação de criação, não de paração.

os programas de rádio que vão nascendo, ou a fanzine que sai para a rua ou estes posts no blog aparecem como vias alargadas do estarcom que praticamos pela rua. são muito frequentemente formas toscas, com erros e falhas, crescendo enquanto crescem. tenho vontade de dizer: não são coisas mal feitas que um dia se podem fazer como deve ser…são as formas emergentes do agora, se um dia se fizerem “como deve ser” é porque o movimento que as potencia é outro….nem melhor nem pior….mas outro!

sofia

nota:os programas de rádio passam por enquanto na stress.fm normalmente à sexta feira pela 20h e á segunda pelo meio dia, às vezes também passa ao fim de semana. Os programas anteriores vão entrando aqui no blog, no canto superior direito em “emissões”

 

 

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.