Proximidade

A regularidade de estar na rua tem-me alertado para a qualidade de estar próxima… surpreendentemente acompanho-me próxima das coisas mais insuspeitas, não raro textos… levo livros para a rota, abro-os e o que leio inunda-me de uma emoção que não sei nomear… sinto que tenho profundamente a ver com aquilo que estou a ler, naquele momento, uma espécie de água interna que me vai transbordando por dentro, apagando os limites que retenho do corpo. Identifico isto com proximidade… uma espécie de propensão para estar próxima sem saber do quê. Atravessa-me a proximidade com situações que vejo, com pessoas de quem me sento ao lado casualmente e com o mesmo espanto sinto esse derreter a partir de dentro, que não vai a lado nenhum, não quer dizer mais do que a pertinência da chuva quando molha as ervas.

Esta proximidade também tem uma consideração própria das distâncias… muitas vezes me sinto próxima de coisas que acontecem longe de mim, e longe das coisas de que estou próxima. Neste estado de proximidade cria-se uma geografia própria que o meu corpo modela como se fosse barro. Rugosidades próprias da relação próxima… o mergulho para dentro da ruga que é tão importante como o desembrulhar abrupto do planalto.

margarida

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.