corpomundo.que guelras nascem a um corpo que habita a rua?

é quase casa, é quase planta, é quase saco com água, é quase vento, é quase esquina, é quase choro, é quase furacão, é quase deslize, é quase chuva torrencial, é quase briza, é quase ranho, é quase árvore, é quase riso, é quase sombra, é quase cheiro, é quase luz, é quase som, é quase buraco, é quase acidente, é quase salto,é quase fio, é quase porta, é quase frio, é quase fruta, é quase humano

curioso é que enquanto brinco, salto à corda, jogo à macaca na rua, enquanto se abre a brincadeira que não tem idades nem culturas, nem dentro nem fora, enquanto qualquer cão, qualquer pessoa que passe, se sente entrada no jogo e também salta ou lança  a pedra para andar ao pé coxinho, enquanto brinco… enquanto brincamos… já não tem isso de separação entre gentes e bichos, entre ideologias, entre gerações, entre práticas e teorias,entre coisas…não tem separação…posso dançar, posso escrever, posso chamar, posso comer, posso adormecer, posso mijar, posso amar, posso brincar,posso gritar, posso suspirar

sofia

a foto de entrada é do cristiano e sou eu e a rita teodoro a dançar “práticas para ver o invisível e guardar segredo” no beco da amendoeira, frente à casa do senhor zé

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.