ler pelo meio de ler

estado de leitura… ler, foi-me ensinado, é uma ação solitária, o leitor e o seu livro, o mundo em volta que desaparece… fala-se muito de viajar dentro de um livro… entendo e reconheço esse estado, é talvez dos mais viciantes que encontro, a cabeça sustentando-se nas linhas, criando mundos levantados a partir de sonhos só por aquelas letras, aquelas frases, uma a seguir às outras… mas também há outro estado de leitura, ou talvez o mesmo se continuar lá, continuando a perguntar que estado é este ao mesmo tempo que leio… aqui o corpo todo disponibiliza-se para ler, não se fecha só no triângulo mãos, cabeça, livro… abre-se na nuca, pescoço, omoplatas, dá a volta sobre si mesmo, e as mãos que seguram o livro já não são as mesmas que seguram os livros… estas outras mãos que seguram o livro permitem-me fisicalizar a leitura… atravessá-la como se percorresse um caminho ou mesmo desbravasse um… estas outras mãos permitem-me mesmo percorrer um caminho enquanto leio, mas também ler um caminho enquanto o percorro, ou caminhar uma leitura enquanto…
encanta-me a capacidade do corpo de ser enquanto, de me fazer relacionar pelo que discorre sem direção nem propósito… indo a lado nenhum senão atrás das pernas… o corpo ensina-me que ando atrás das pernas enquanto acho que vou a algum sítio… o corpo ensina-me que ando atrás das palavras enquanto as quero fazer submeter à lógica do que me está a ser contado… leio enquanto leio, nem à frente nem atrás de ler e aparecem-me palavras-corpo, que ora me atravessam, ora chocam comigo, ora me emprestam o seu lastro para me prolongar nelas… uma pulsação própria… e então às vezes tenho um vislumbre do seu autor, procurando contê-las numa forma, maestrando-as num texto, porque sabe que são indomáveis… querem sempre dizer outras coisas… revelam-se-me relações precárias entre elas… se as volto a ler já não está lá aquele vislumbre de alinhamento que entrevi, e que me parece ser o mesmo que quem as escreveu também viu… está e não está… leio as fachadas dos prédios e as portas, leio com os pés no seu encontro com o chão… leio palavras mas também a tensão entre elas, como as distâncias variáveis dos degraus que subo enquanto isso proporciona tensões específicas nos meus olhos… de ler nunca se termina…
margarida

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s