Criaturas que se tocam

É quarta-feira de manhã, ansioso, a caminho do Beco do Rosendo, vou a um encontro que durará uma hora. Sei que uma hora não é pouco para ter com aqueles seres que nunca são os mesmos, a cada semana crescem, alargam, trocam de olhos, são mais ágeis, mais moles, sempre mudam. No entanto sempre nos reconhecemos. Vou abrindo uma disponibilidade em estar com criaturas que têm uma velocidade muito diferente da minha, que se transformam de doces acolhedores em monstros gritalhões na passagem de 1 segundo.

Quando chego logo me alertam: olha, tu vais com calma, que hoje eles estão muito mal dispostos. Eu entro cheio de vento lá de fora. Cada um num canto da sala. Aproximo-me. Acende-se um foco enorme sobre mim, eles me olham entre espanto e euforia, suspendem o tempo das atenções no espaço, abre-se um silêncio que me acolhe, já posso juntar-me a eles nessa espera por algo que aconteça a nós nesse momento.

O foco sai de mim e vai passeando por cada um ————————————————————————————

A Bavana se rende à luz do foco e rasga o espaço num choro forte e confuso, que não sabe ao que veio e que agora vai saindo sem saber por onde. Deixa o choro chorar, agito para os pulmões tão carregados de muco. Vou largando a diferenciação e atravessando a barreira entre o “eu” e o “eles”, vamos encontrando-nos no espaço, numa dança das atenções e dispersões, deixando o foco ir passeando sem um comandante ou regente de orquestra que coordene direções e reações. Vamos praticando estarmos juntos, um a um, dois a dois, três ou quatro, todos em uníssono…

Aproximo-me mais do Martim, que encostado a parede há tempos, espera a minha ida até ele. Encosto-me a parede ao seu lado, ele atira o olhar para longe e muito sutilmente pousa sobre meu colo, parece uma valsa – tatatum – tatatum… Uma movimentação ligeira e despretensiosa entre o meu corpo e o dele. Ficou claro que antes de ele se sentar, já havia o seu lugar lá no meu colo, nós, eu e o Martim, fomos trabalhando para que essa dança fosse possível de ser dançada. O Martim convida-me a estar assim sem muita coisa por cima das intenções que me deslocam mais para perto dele ou dele ou dela, com menos separação entre as lógicas e diferenças de cada corpo. Brinco de perceber o quanto é possível afastar e aproximar sem mudar de intenção, e continuar juntos sem ser pela comparação que iguala as várias qualidades das presenças.

Movo-me pela simplicidade que permite aprofundar o estar lado a lado. Afastar-me dele. Aproximar-me dela. Ficar mais sozinho. Manchar-me em coletivo. Estar com outros corpos sem prender-me aos por quês, que sempre estarão lá, sem deter-me na leitura de sinais que me distanciam de toda a bruteza de estar, da crueldade dos afetos, de ter um corpo sempre a brotar criação desenfreadamente pelo mundo.

Não há medidas para estarmos juntos – mesmo sendo um mais novo, outro mais velho, mais leve, mais gordo, mais fraco, mais calmo, mais alto – se há disponibilidade para muito tocar, pegar, empurrar, afastar, puxar, agarrar, coisas muito físicas onde há muito contato e gera-se calor. Os corpos não se separam por lógicas e análises comparativas, a diferenciação se dá pela experiência do trânsito das próprias diferenças.

Passada 1 hora – tempo ilusório do relógio – sigo pelas ruas sem esquecer-me de que já babei meses sem parar, caguei por várias vezes nas calças e continuei meu dia, comi ranho e não achei mal…

 

Lyncoln

Sobre pedras2012

O Pedras d'Água é uma iniciativa do c-e-m centro em movimento (Lisboa -Portugal). Esta plataforma on line é um espaço para compartilhar a trajetória de todo o Programa Pedras d'Água '12, transitando entre documentações, imagens, escritos e outras formas que contemplamos para irmos levantando voo até planar sobre as criações e comunicações artísticas e outros acontecimentos que tomam corpo no Festival Pedras d'Água. em Julho próximo.

Um Comentário

  1. muito emocionante o teu escrito, que bom que esta gente agora criança pode acompanhar e ser acompanhada por esta criatura agora adulto e sempre criança
    sofia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s